Vitrine

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Kobza

Kobza


Instrumento musical de cordas, Kobza (кобза), com caixa acústica de formato oval e fundo côncavo, é provido de braço um tanto longo sobre o qual se acham esticadas as cordas, cujo o número varia de três a oito. Foi introduzido na Ucrânia ainda no tempo dos príncipes de Kiev, por volta do século X, por andarilhos árabes.





O termo Kobza apareceu pela primeira vez nas crônicas polonesas que datam de 1331 dC. Em linguagem popular, o termo Kobza foi aplicado a qualquer instrumento regional de Alaúde usado por músicos de corte na Europa Central e Oriental. O termo foi ocasionalmente usado para outros instrumentos musicais de vários tipos não relacionados.



O termo Kobza também foi usado em fontes históricas e canções populares e como um sinônimo de Bandura no século 19 e início do século 20 na Ucrânia. O termo foi usado ocasionalmente para a Gaita-de-foles e ocasionalmente para o Hurdy-gurdy na Polônia oriental, em Belarus e na região de Volyn em Ucrânia. A Bandura Starosvitska, uma variante de gusli, desenvolvida por volta de 1700, apropriou-se do nome de Bandura, mas era comumente referida como um Kobza, por causa do histórico do nome, enquanto o Kobza ou Cobza Romeno é um tipo diferente de Alaúde.


O termo Kobza Ã© de origem turca e está relacionado com os termos Kobyz e Komuz, que se pensa terem sido introduzidos na língua ucraniana no século XIII com a migração de um considerável grupo de povos turcos da Abcásia se estabelecendo na região de Poltava. Era jogado geralmente por um bardo ou menestrel conhecido como um Kobzar (ocasionalmente em épocas mais adiantadas um Kobeznik), que acompanhava uma recitação de poesia épica chamada Duma em ucraniano.


Kobza adquiriu popularidade no século XVI, com o advento do Hetmanate (estado cossaco). A partir do século XVII, o termo Bandura era frequentemente usado como sinônimo para o Kobza. O termo Bandura tem um pedigree latino e reflete os crescentes contatos que o povo ucraniano teve com a Europa Ocidental, particularmente nos tribunais da nobreza polonesa. Músicos ucranianos que encontraram emprego em vários tribunais alemães no século 18 foram chamados de Pandoristen. Um desses músicos, Timofiy Bilohradsky, era um estudante de Alaúde de Sylvius Leopold Weiss e mais tarde se tornou um famoso virtuoso de Alaúde, um luteiro de corte, ativo em Königsberg e São Petersburgo. No século 18, a faixa superior do Kobza foi estendida com uma adição de várias cordas de agudos não desdobradas, conhecidas como prystrunky, que significa: cordas ao lado, em um psaltery como setup.

No início do século 20 o Kobza entrou em desuso. Atualmente há um renascimento do folk autêntico Kobza tocado na Ucrânia, devido aos esforços da Guild Kobzar em Kiev e Kharkiv. O renascimento de Kobza, no entanto, é impedido pela ausência de referências em museus: com a exceção de um único Kobza sobrevivente do século 17 no Muzeum Narodowe em Cracóvia e um Kobza, que foi remodelado como Bandura, no Museu de Teatro e Cinematografia, em Kiev. Quase todas as referências são inteiramente iconográficas e algumas fotos do século XIX.


Referências:
Diakowsky, M. - A Note on the History of the Bandura. The Annals of the Ukrainian Academy of Arts and Sciences in the U.S. - 4, 3-4 №1419, N.Y. 1958 - С.21-22
Diakowsky, M. J. - The Bandura. The Ukrainian Trend, 1958, №I, - С.18-36
Diakowsky, M. – Anyone can make a bandura – I did. The Ukrainian Trend, Volume 6
Haydamaka, L. – Kobza-bandura – National Ukrainian Musical Instrument. "Guitar Review" №33, Summer 1970 (С.13-18)
Mishalow, V. - A Brief Description of the Zinkiv Method of Bandura Playing. Bandura, 1982, №2/6, - С.23-26
Mishalow, V. - A Short History of the Bandura. East European Meetings in Ethnomusicology 1999, Romanian Society for Ethnomusicology, Volume 6, - С.69-86
Mizynec, V. - Folk Instruments of Ukraine. Bayda Books, Melbourne, Australia, 1987 - 48с.

Cherkasky, L. - Ukrainski narodni muzychni instrumenty. Tekhnika, Kiev, Ukraine, 2003 - 262 pages. ISBN 966-575-111-5

Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!


⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST


⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography® 





sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Sopilka

Sopilka


Sopilka Ã© uma espécie de Flauta Doce feita de vara de junco. Instrumento muito antigo e mais difundido na Ucrânia Ocidental (Região dos Cárpatos). Os Hutzule são exímios tocadores de Sopilka.




A Sopilka Ã© um instrumento musical popular de construção variada feita de madeira ou sua casca. Suas formas relacionadas incluem o Telenka, Floiara, e Dentsivka.


Sopilka (About this sound ÑÐ¾Ð¿Ñ–лкаé um nome aplicado a uma variedade de instrumentos de sopros da família das flautas usadas por instrumentistas populares ucranianos. Sopilka mais comumente se refere a um Pífaro feito de uma variedade de materiais (mas tradicionalmente de madeira). Geralmente cilíndrico, bloqueado em uma extremidade, contendo de 6 a 8 furos (até 10 desde 1970). O termo também é usado para descrever um conjunto relacionado de instrumentos folclóricos.





As Sopilkas são usadas por uma variedade de conjuntos folclóricos ucranianos que recriam a música tradicional das várias subetnias na Ucrânia ocidental, notavelmente aquela dos Hutsuls dos Montes Carpátios. Muitas vezes, empregando várias Sopilkas no concerto. Um artista qualificado pode imitar uma variedade de sons encontrados na natureza, incluindo pássaros e insetos.


O exemplar mais antigo encontrado na Ucrânia é uma flauta de osso gigantesco do Período Paleolítico. A flauta é conhecida da época principesca da Rus Kyivan e é retratada em um afresco do século XI na Catedral de Santa Sofia de Kiev.



Na tradição popular era comumente o instrumento de pastores ou parte de um conjunto de trio (troisti myzyky). Hoje é caracterizado principalmente em conjuntos folk instrumental. Dentre os artistas proeminentes de Sopilka estão Ivan Skliar, Y. Bobrovnykov, D. Demenchuk e V. Zuliak.



Com o desenvolvimento dos instrumentos de digitação de 10 buracos, as Sopilkas passaram a fazer parte do sistema de educação musical na Ucrânia. Os grupos pop começaram a usar o instrumento em suas performances. O primeiro foi o grupo de rock folclórico Kobza. Mais recentemente, a Sopilka encontrou seu caminho na música de Ruslana, Haydamaky, Kubasonics e outras bandas contemporâneas que exploram temas ucranianos.




Referências:
Dverij, R. - Shkola hry na khromatychnii sopiltsi - Lviv, 2008. - Part 1 - 72 pages, part 2 - 68 pages, part 3 - 64 pages.
Humeniuk, A. - Ukrainski narodni muzychni instrumenty - Kiev: Naukova dumka, 1967
Mizynec, V. - Ukrainian Folk Instruments - Melbourne: Bayda books, 1984
Cherkasky, L. - Ukrainski narodni muzychni instrumenty // Tekhnika, Kiev, Ukraine, 2003 - 262 pages. ISBN 966-575-111-5

Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!


⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST


⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®